Duas Almas, Mesmo Destino




O nascimento nos separou...
Os anos nos separaram...
A distância nos separou...
E assim ficamos por longos anos
Perdidos, vivendo por viver,
Sem entender o real significado da vida
Perambulando na multidão apressada.
Sentindo que algo nos faltava
Estávamos incompletos...
Nem idade, nem a distância, nem o tempo,
Poderiam evitar aquele encontro, ou melhor,
Aquele reencontro de almas afins
E naquela tarde ensolarada
O destino deu um jeito de nos encarar
E naquele sorriso, nos reconhecemos.
Meu coração me avisou aos pulos: é ela.
Naquele abraço nunca nos soltamos
Naquele beijo na chuva nos eternizamos
Fomos atropelados pela força do amor
Puro, verdadeiro, único, imortal.


Raimundo Salgado Freire Junior

Comentários