Amigos do Blog

quinta-feira, fevereiro 04, 2016

Coração Selvagem



Meu bem
Guarde uma frase pra mim
Dentro da sua canção
Esconda um beijo pra mim
Sob as dobras do blusão
Eu quero um gole de cerveja
No seu copo, no seu colo e nesse bar

Meu bem
O meu lugar
É onde você quer que ele seja
Não quero o que a cabeça pensa
Eu quero o que a alma deseja

Arco-íris, anjo rebelde
Eu quero corpo
Tenho pressa de viver



Mas, quando você me amar
Me abrace
E me beije bem devagar
Que é pra eu ter tempo
Tempo de me apaixonar
Tempo pra ouvir o radio no carro
Tempo para a turma do outro bairro
Ver e saber que eu te amo

Meu bem
O mundo inteiro 
Está naquela estrada ali em frente
Tome um refrigerante
Depois do meu beijo quente
Sim, já é outra viagem
E o meu coração selvagem
Tem essa pressa de viver

Meu bem
Mas, quando a vida nos violentar
Pediremos ao Bom Deus que nos ajude
Falaremos para a vida
Vida pisa devagar
Meu coração, cuidado, é frágil
Meu coração é como um vidro
Como um beijo de novela

Meu bem
Talvez você possa compreender a minha solidão
O meu som, a minha fúria
E essa pressa de viver
Esse jeito de deixar
Sempre de lado uma certeza
E arriscar tudo de novo com paixão
Andar caminho errado pela simples
Alegria de ser

Vem viver comigo
Vem correr perigo
Vem morrer comigo
Meu bem

Meu bem
Meu bem
Meu bem
Meu bem

Talvez eu morra jovem
Em alguma curva do caminho
Algum punhal de amor traído 
Completará o meu destino

Vem viver comigo
Vem correr perigo
Vem morrer comigo
Meu bem
Meu bem
Meu bem
Meu bem.


Belchior

quarta-feira, janeiro 27, 2016

Não Há Quem Passe




Há quem passe por um jardim e só veja o esterco
Ha quem passe por uma floresta e só veja madeira
Há quem passe por uma praia e só veja deserto
Há quem passe por um poema e só veja palavras

Há quem passe por uma igreja e só veja fanáticos
Há quem passe pelo Natal e só veja presentes
Há quem passe por um homem e só veja um  bolso
Há quem passe por uma mulher e só veja uma bunda


Há quem passe por uma chuva e só veja os raios
Há quem passe por um dia de sol e só veja calor
Há quem passe por um mangue e só veja lama
Há quem passe por um livro e só veja a capa

Há quem passe por uma biblioteca e só veja mofo
Há quem passe pela liberdade e só veja solidão
Há quem passe pelo casamento e só veja uma prisão
Há quem passe pela dor e só veja desespero

Há quem passe pelo amor e só veja posse
Há quem passe pela distância e só veja saudade
Há quem passe pela amizade e só veja interesse
Há quem passe pelo sexo e só veja prazer

Há quem passe pelo sucesso e só veja a sorte
Há quem passe pela vida e só veja a morte!
Há quem passe pelos filhos e só veja despesa
Há quem passe pelo perdão e só veja fraqueza

Mas, não...

Há quem olhe  meus olhos e não veja teu sorriso
Há quem olhe você e não veja tudo que eu preciso.
Há quem passe pela minha alegria e não veja o porquê
Há quem passe pelo meu coração e não veja você!


Raimundo Salgado Freire Júnior

sexta-feira, janeiro 08, 2016

Puro e Verdadeiro



Como ouro puro de brilho verdadeiro
Brilha o nosso amor no horizonte
Entre montanhas, serras e quilômetros que nos separam
Está escrita a dor da saudade que nos acorrenta
Uma odisseia que mais parece um filme
Com roteiro escrito a duas mãos
Com encontros perfeitos e despedidas dolorosas
Com abraços intermináveis e beijos inesquecíveis
Com sorrisos autênticos e lágrimas indisfarçáveis
E o que parecia quase nada, virou sempre tudo
E os olhares de carinho e de desejo insistiam em brotar
Como orvalho que beija as flores durante toda uma noite
Nossos beijos se consumiam até o amanhecer
E o tempo, esse carrasco dos amores impossíveis
Não conseguiu desfazer o laço eterno que nos uniu
E mesmo quando estás ao meu lado presente
Sinto saudades como se estivesse ausente
Um amor puro e verdadeiro, o último e o primeiro
Do resto de nossas vidas, um amor tão perfeito,
Feito sob medida, que só cabe em nós dois...


Raimundo Salgado Freire Júnior



sexta-feira, dezembro 18, 2015

Mulher de Quarenta



Mulher que já não se ilude mais
Com quem só tem bens materiais
Mulher que sabe aquilo que quer
Quem não tem medo de outra mulher
Nem mais nova, nem da bunda dura
Sabe que corpo novo é bom, mas pra aventura

Já não tem o viço da afoita mocidade
Mas também não tem o vício da futilidade
Já não tem aquela barriga sem pança
Mas também já não sofre com a insegurança
Na cama, já não é uma menina boba
Suga, morde, amassa, ama como uma loba.

Abomina homem imaturo, artificial
Que mente, manipula, e nem sabe usar o tal
Não cai na besteira de botar um galho nela
Ou a tua vai ter mais chifre que em briga de novela
Seja gentil, mas seja viril, trate-a com delicadeza
Seja homem pra merecer as delícias de sua beleza

Se você não a quiser, vai ter um melhor que a quer
Mulher de quarenta meu amigo, essa sabe ser mulher
Não é questão de idade, mas de maturidade
Pois tem velha safada que ainda curte promiscuidade
Se o que você gosta é de mulher ciumenta
Não procure tal vilania numa mulher de quarenta

Cabeça coroada por algum cabelo branco escondido
Melhor que muita nova de cabeça vazia e cabelo tingido
Não põe sua felicidade na mão de nenhum homem bisonho
Trabalha, é independente, corre atrás do próprio sonho
Não implica com teus filhos, pois ela tem os seus
Sabe que filho é pra sempre, um belo presente de Deus.

Mulher de quarenta a vida te treinou, você agora dá aula
Sabe o que é amar, não aceita viver numa jaula
Gosta da boa leitura, aprecia um bom vinho
Com uma mulher de quarenta você não conversa sozinho
Você quer um amor tranquilo, que a cada dia só aumenta?
Não desgrude, valorize, a tua mulher de quarenta.



Raimundo Salgado Freire Júnior.











LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...