Sugestão de Leitura: Nada É Por Acaso



Acabei de ler, e recomendo, o livro Nada É Por Acaso, de Zíbia Gaspareto, pela Editora Vida e Consciência. São 350 bem escritas páginas ditadas por Lúcius que narram a história das protagonistas Marina e Maria Eugênia.

Marina é uma jovem do interior que, pobre, aceita ser mãe de aluguel para poder patrocinar seus estudos em advocacia e comprar uma casa par si e sua mãe. A oferta é feita por Adele, rica empresária e mãe de Maria Eugênia que é estéril e filha única, além de ser casada com Henrique.

Marina aceita a proposta e passa um ano refugiada em uma fazenda no interior paulista afastada de tudo e de todos para ter o filho, a pretexto de ir viajar para a Inglaterra. Henrique engravida Marina e após o nascimento o filho é entregue e marina se afasta, sem sequer conhecer o menino, Maria Eugênia ou Henrique, conforme o acertado com Adele.

Por sua vez maria Eugênia viaja com Henrique para Paris, na França, fazendo uso de uma barriga postiça para que ninguém desconfie de nada. Maria Eugênia se sente humilhada por não poder dar um filho a seu marido, por ter que usar uma barriga postiça e, mais ainda por saber que seu marido teve que dormir com outra mulher. Revoltada, Maria Eugênia exagera nas noitadas, nas bebidas, e acaba tendo um caso com o francês Michel.

Após o nascimento do menino Dionízio, Maria Eugênia muda completamente de atitude e desperta o verdadeiro amor de mãe pela criança que a ela se apega mais até de que ao própio pai. Acontece que Michel viaja ao Brasil para chantagear Maria Eugênia ameaçando-a de contar a todos que o filho não é dela e de contar a seu marido que dormiu com ela.

Mais uma vez, Adele entra para mudar o curso da história e acaba, com a ajuda de seu advogado Bernardo e da interpol, prendendo e extraditando Michel que era procurado por homicídio na França. Maria Eugênia confessa a Henrique que foi pra cama com Michel.

Marina conhece e se apaixona por um psiquiatra chamado Rafael, que por sua vez, também é psiquiatra de Henrique. Marina casa-se com Rafael, tem o seu filho que vai poder criar e amar, e o inevitável acontece: as famílias se aproximam e vão descobrir que coincidências não existem, que nada é por acaso e que o amor tece as própias teias que envolve os espíritos que se conhecem de longa data.


Raimundo Freire.


Comentários