Na Presença do Amor



Quem ama o próximo sabe, acima de tudo, compreender.
E quem compreende sabe livrar os olhos e os ouvidos do veneno viscoso do escândalo, a fim de ajudar, ao invés de desservir.
É necessário trazer o coração sob a luz da verdadeira fraternidade, para reconhecer que somos irmãos uns dos outros, filhos de um só Pai.
Enquanto nos demorarmos na escura fase do apegos exclusivo a nós mesmos, encarceramo-nos no egoísmo e exigimos que os outros nos amem.
Nesse passo infeliz, não sabemos querer senão a nós próprios, tomando os semelhantes por instrumentos de nossa satisfação.
Mas, se realmente amamos o companheiro do caminho, a paisagem da vida se modifica, de vez que a claridade do amor nos banhará a visão.
Ama pois, e assim como a lama jamais ofende a luz, a ofensa não mais te alcançará.
Saberás que a miséria é fruto da ignorância e auxiliarás a vítima do mal, nela encontrando o próprio irmão necessitado de entendimento.
Aprenderás a ouvir sem revolta, ainda mesmo que o crime te produre os ouvidos, e cultivarás a ajuda ao adversário, ainda mesmo quando te vejas dilacerado, porque o perdão com o esquecimento absoluto dos golpes recebidos surgirá espontâneo em teu espírito, assim como a tolerância aparece natural na fonte que acolhe no próprio seio as pedras que lhe atiram.
Ama e compreenderás.
Compreende e servirás sempre mais a cada dia, porque então permanecerás sob a glória da luz, inacesível a qualquer incursão das trevas.

Fonte: Livro Fonte Viva (Emmanuel/Chico Xavier).


Comentários